As Mães de Jesus: Introdução

Uma das concepções mais erradas que as pessoas têm da Bíblia é esta: a Palavra de Deus é um livro cheio de histórias sobre pessoas perfeitas e boas, cujas vidas mereceram o amor divino. Muitas pessoas, inclusive, se aproximam da igreja com essa mesma concepção e por isso se decepcionam e abandonam o convívio cristão sob o pretexto de que as pessoas não são o que elas esperavam.

Claro que devemos, como representantes de Cristo, buscar a melhora diária através do processo de santificação que é feito com o poder do Espírito de Deus. Mas nós nunca alegamos ser perfeitos, e é de se esperar que pessoas que buscam isso em nós saiam insatisfeitas. A beleza do Evangelho é essa — pecadores indignos, quebrados, imperfeitos, sujos, cruéis, ruins, que são alcançados, limpos e adotados na família divina por causa da morte do único homem perfeito, Jesus Cristo, filho de Deus. 

Um Deus gracioso mostrando misericórdia a seres corruptos — essa é a história da Bíblia, do começo ao fim. A própria linhagem genealógica de Jesus Cristo, relatada em Mateus 1, nos mostra essa realidade. Nome após nome nós vemos a corrução humana. Adão que foi o primeiro homem a pecar; Jacó, enganador e ladrão; Judá, que vendeu seu próprio irmão e foi dominado por sua luxúria; Davi, assassino e adúltero; Salomão, que abandonou a ordem de Deus e casou-se com várias mulheres idólatras e pagãs, e por aí vai. Essa linhagem de homens quebrados nos permite enxergar a beleza do amor de deus brilhando forte em contraste com a escuridão humana.

Eu amo a linhagem de Jesus em Mateus, e sabe por quê? Porque não somente ela me mostra a beleza da graça na vida dos homens, mas ela também me mostra o poder da graça na vida das mulheres. Não sei se você já leu essa passagem prestando atenção aos detalhes, mas para além dos grandes patriarcas e reis nomeados, há também a menção de cinco mulheres: Tamar, Raabe, Rute, Bate-Seba (descrita como “a mulher de Urias”) e Maria.

Mulheres na linhagem messiânica

Em primeiro lugar precisamos entender que não era comum que genealogias antigas nomeassem mulheres. A sociedade daquela época era patriarcal, não no sentido político que usamos hoje, mas em um sentido estrutural, social, em que as famílias carregavam o nome dos homens e a sociedade como um todo funcionava com base nesse sistema. Ter apenas filhas significava, naquela época, a morte da família. Quem sustentaria os pais quando ficassem idosos e quem continuaria o nome da família? Ser mulher significava carregar a responsabilidade de gerar filhos, para que o nome da família de seu marido não morresse com você. 

Por isso, não podemos passar por cima do fato de Mateus ter escolhido nomear cinco mulheres na genealogia do Messias. Isso é tremendo! O objetivo de Mateus com sua genealogia era mostrar que Jesus era realmente o Rei dos Judeus, pois descendia da linhagem real judaica. E a verdade é que para provar isso ele não precisaria citar mulheres uma vez que, como já vimos, a linhagem se dava pelos pais, não pelas mães. Então por que Mateus cita mulheres? Acho que para além disso, precisamos perguntar, por que essas cinco mulheres? Vamos lembrar, de forma resumida, a história de cada uma delas e talvez isso nos ajude a responder a essa pergunta. 

Cinco mulheres improváveis

Tamar foi a nora de Judá, um dos doze filhos de Israel (Jacó). Deus matou seu primeiro e segundo maridos (que eram irmãos), por causa da iniquidade deles, e Judá deveria, por causa da tradição da época, dar a ela seu filho mais novo por esposo. Entretanto, Judá não o fez, e Tamar tomou sobre si a responsabilidade de continuar a linhagem da família (e garantir tanto o futuro de Judá quanto o seu) ao se disfarçar de prostituta, seduzir o próprio Judá, e engravidar dele. Por mais que isso pareça loucura para nós, a atitude dela foi considerada justa (Gn. 38:26).

Raabe não precisou se disfarçar de prostituta — essa era sua real ocupação. Moradora da cidade de Canaã, ela escondeu os espias israelitas que Deus havia enviado à terra, e temeu ao Deus de Abraão. Por causa disso, ela e sua família foram poupados quando Israel ocupou Canaã, e posteriormente ela se casou com um israelita chamado Salmom (o que eu não daria para saber como essa história se deu…).

Rute não teve um passado pessoal com imoralidade sexual, como Tamar e Raabe, mas vinha de um povo cuja origem se deu por causa do incesto de Ló com sua filha mais velha (cf. Gn. 19:30-38). Os moabitas não podiam casar-se com os israelitas, entretanto Rute não somente está na genealogia de Jesus como também tem um livro inteiro da Bíblia dedicado à sua história (e nomeado em sua homenagem).

Bate-Seba viu seu mundo virar de cabeça para baixo quando o rei de seu povo a mandou chamar, abusou dela, e assassinou seu marido. Por causa do pecado de Davi Bate-Seba perdeu seu bebê, mas Deus escolheu seu outro filho, Salomão, para ser o sucessor do trono e através dele continuar a linhagem do Messias.

Maria era uma jovem que provavelmente buscava viver de forma correta e piedosa. Mas tudo mudou quando ela se encontrou grávida sem ainda ser casada. Sua fé e coragem não se abalaram, ainda que ela soubesse das consequências sociais de seus atos, e ela louvou a Deus pelo privilégio de ser escolhida para ser a mãe do Filho de Deus. 

Algo em comum

Talvez ao olharmos esses resumos seja mais fácil entender porque essas mulheres foram escolhidas para a linhagem real do Messias. O que elas têm em comum? Talvez você pense na coragem que tiveram em frente às grande adversidades que sofreram. Mas eu acho que o principal fator comum entre todas, na verdade, é a desgraça que sofreram. Todas essas mulheres sofreram seja com morte de amados, traumas, abusos, fome, vergonha social, injustiça. E Jesus as coloca em Sua linhagem para fazer com que a graça dEle brilhe mais forte.

Jesus coloca mulheres improváveis em Sua linhagem para fazer com que a graça dEle brilhe mais forte. Click To Tweet

Se nós tivéssemos mulheres como essas em nossa família, talvez escolhêssemos escondê-las. Mas Jesus faz o oposto — Ele as coloca em destaque, traz suas histórias à luz, para que nós entendamos claramente Sua ênfase em REDENÇÃO. Para mostrar que Ele faz algo lindo daquilo que estava quebrado.

A linhagem de Jesus traz prostitutas, reis, adúlteros, herois, mentirosos, enganadores, gentios, israelitas, homens e mulheres, para mostrar que Ele tem poder para salvar a todos.

Começaremos essa nova série de postagens no Graça em Flor onde veremos de forma aprofundada a história de cada uma das mães de Jesus. Que possamos nos enxergar nelas e entender que Jesus as amou e fez delas novas criaturas, assim como faz por nós. Que possamos ser encorajadas ao compreender que nossos abusos, traumas, pecados e dores não podem nos afastar da mão redentora de Deus.